Home Estudar no ExteriorAprender idiomas Inglês do cotidiano que você não aprende no curso: como adquirí-lo

Inglês do cotidiano que você não aprende no curso: como adquirí-lo

by Suellen Kyl
Atualizado em 23 setembro 2022 por Suellen Kyl

Você já deve ter conhecido alguém que gastou horrores fazendo cursos e mais cursos de inglês mas que na hora de falar acaba não sabendo falar nada. Ou alguém que achava que tinha um inglês ótimo, até ir para o exterior e perceber que não entende ou não fala quase nada. Isso tem uma explicação: o inglês do cotidiano, você não aprende no curso.

Para maiores informações, não deixe de conferir o nosso canal no YouTube e acompanhar o nosso Instagram. Além de postagens diárias, muitas dicas e informações são postadas diariamente no stories. Já está nos seguindo?

Faça agora mesmo a sua cotação com a Wise, uma empresa que oferece um serviço rápido e seguro com as menores taxas e as melhores cotações de câmbio.

>> Faça agora mesmo a sua cotação <<

Curso de inglês é necessário?

Para aprender as bases da língua, entender como funcionam as estruturas gramaticais e poder ter uma escrita e pronúncia correta, é importante fazer um curso de inglês. Existem pessoas que conseguem evoluir sozinhas e tem mais facilidade para aprender idiomas, mas isso não é regra. Para a grande maioria é sim necessário o apoio de um curso de idiomas.

Como escolher um curso de inglês?

Saber escolher bem o seu curso de inglês vai ser essencial para que o seu progresso seja rápido e duradouro. Existe atualmente no mercado, diversos tipos de cursos para atender aos mais variados estilos de vida e necessidades. Só é preciso escolher o que for mais adaptado para você.

Os cursos de inglês à distância ganharam bastante relevância e tem sido muito procurados. Porém, esse tipo de aula nem sempre funciona, pois é preciso ter bastante determinação e prática além das aulas. E é exatamente nesse ponto que entra a questão do inglês do cotidiano que não é ensinado nos cursos.

Saiba como funciona o TOEFL e confira 5 dicas para passar no TOEFL.

Porque os cursos de inglês não ensinam o inglês do cotidiano?

Os cursos de inglês tem como objetivo fazer com que você tenha aquele primeiro encontro com o idioma. Durante as aulas, você vai ficando cada vez mais próximo, mais “amigo” do inglês e vai passar a entender como ele é estruturado. É como se pouco a pouco você fosse colocando tijolos para erguer a sua construção.

Nesse aspecto, o curso de inglês vai fornecer as bases para que a sua construção seja sólida e vai ensinar a fazer o básico da construção. Toda a parte da decoração, acessibilidade e tudo que você precisa para morar nessa construção, é você que vai precisar aprender de outras formas.

Resumindo: nos cursos de inglês além do básico da estrutura da língua, você aprende a criar frases prontas para responder às perguntas mais frequentes do dia-a-dia. Mas essa estrutura nem sempre corresponde ao inglês do cotidiano. Isso se explica pelo fato do inglês do cotidiano ser mais simples e menos formal, podendo até fugir das regras gramaticais. E no curso você vai aprender o inglês gramaticalmente correto.

Existe uma parte do aprendizado que depende só de você, e essa parte o curso de inglês não vai te proporcionar. Isso faz parte da vivência do idioma. Para ficar claro, não estamos falando apenas de expressões em inglês usadas no cotidiano, mas sim do inglês como um todo que é usado no cotidiano. Sem esquecer das siglas e abreviaturas em inglês que fazem parte do dia-a-dia.

É no curso que aprendemos as bases fundamentais do inglês
O inglês do cotidiano que não aprendemos no curso

Dicas de livros que vão ajudar no aprendizado do inglês:

Como adquirir o inglês do cotidiano

Aprender o inglês do cotidiano exige prática e atenção. Existem duas maneiras essenciais de ter esse aprendizado:

  1. Tendo contato com nativos e usando o seu inglês para conversar com eles. Aqui você tem que tentar botar a vergonha de lado e simplesmente falar.
  2. Não leve a mal possíveis correções e nem se desanime se a conversa não rolar de forma fluída. Lembre-se que a prática leva à perfeição.
  3. Quando você está aprendendo um novo idioma, você precisa viver o idioma. E se engana quem pensa que para viver o idioma você precisa necessariamente ter uma imersão total morando no exterior. Tem gente que pensa que só vai realmente desenvolver o inglês se morar por 6 meses, 1 ano nos Estados Unidos ou outro país que a língua principal é o inglês. Claro que esse é o método mais rápido, nada como uma imersão apenas com nativos para que você aprenda muito bem um idioma. Mas você pode fazer isso estando no Brasil mesmo.
  4. Filmes, séries e músicas. A gente aprende muito sobre o modo de vida e a cultura de um país através dos filmes, séries e músicas. Mas para isso você precisa prestar atenção, usar um bom fone, não ter outras fontes de distração, usar uma legenda em inglês e escolher bem a série/filme/música que vai ouvir. Tem série que as cenas são muito rápidas ou o vocabulário é muito específico (como séries criminais) e aí vai ficar complicado para você aprender o inglês do cotidiano. Prefira mais séries do estilo comédia e família como How I Met Your Mother e Friends. A mesma dica vale para os filmes e as músicas. Você pode até gostar de rap, mas talvez não seja o estilo musical mais fácil para entender, pelo menos no início.

Em ambos os casos, a motivação precisa partir de você. É preciso pensar fora da caixa e ir além do que é ensinado nos cursos.

Erros que os brasileiros cometem ao aprender inglês

Na longa caminhada do aprendizado de uma nova língua, vão existir várias desistências. Para algumas pessoas, aprender inglês é penoso, quase um castigo. Isso torna o aprendizado ainda mais lento e difícil, o que acaba fazendo com que muita gente desista. Por que isso acontece? Existem dois motivos principais.

  • Muitas vezes, os cursos (e nós mesmo) temos um nível de exigência muito grande em relação à pronúncia e a gramática. Claro que a gente deve se esforçar para falar um inglês correto, mas isso não deve ser uma cobrança exagerada. Você não precisa ser quase perfeito. O principal é conseguir falar, ser capaz de manter uma conversa e ser entendido. A gramática e principalmente a pronúncia você melhora durante o caminho, quanto mais experiência for adquirindo.

O que acontece é que as pessoas acabam perdendo muito tempo insistindo em pontos que não são essenciais. Isso torna o aprendizado longo, fastidioso, desinteressante. Nesse ponto ocorrem as desistências.

  • E é aí que entra o segundo ponto: o tempo. Cada pessoa vai ter o seu tempo de aprendizagem, mas nem todo mundo tem paciência para esperar o seu próprio tempo. Pode ser que você tenha que trocar o método, o professor, o curso, os horários ou o material. Só não existe fórmula mágica para aprender da noite para o dia.

Aprender inglês pode ser demorado, mas compensa todo o esforço. Você é capaz, confie em você.

Prepare a sua viagem

Você também pode se interessar...

2 comentários

deivid 24 de março de 2022 - 4:09

Olá Guia do Estrangeiro adorei o seu conteudo!
Quem fala inglês ganha salário até 70% maior!
É o que aponta a 57ª Pesquisa Salarial da Catho. Segundo o levantamento, a remuneração de um funcionário fluente em inglês, é até 70% maior em relação a um profissional do mesmo nível hierárquico, mas sem a fluência na língua.

Reply
Suellen Kyl 24 de março de 2022 - 7:23

É verdade, existem muitas vantagens mesmo de ter um bom nível de inglês!

Reply

Deixe um Comentário 🙂