Vida de expatriada na Europa

by Patricia Alves

A vida de expatriada tem seus altos e baixos. Quando deixamos nosso país também deixamos pequenos luxos que estávamos habituadas. Luxos sim, pois coisas que antes tínhamos o costume de pagar para serem feitas, na Europa custam bem mais caro. Como viver no exterior sem esses serviços que para muitas é considerado essencial?

vida de expatriada

Fazer a própria unha

A vida de expatriada não é fácil e uma das coisas mais caras é manicure. Se você não está disposta a pagar no mínimo 30 euros para fazer só as unhas do pé, então é melhor trazer seu kit completo e mãos a obra. Invista em um curso de manicure e pedicure e aprenda você mesma a fazer as suas unhas como ninguém.

O serviço de manicure e pedicure no exterior também não é igual ao Brasil. Tirar as cutículas não é um hábito considerado saudável na maior parte dos países. Sendo assim, é bem difícil encontrar alguém que tire as cutículas. O normal é apenas hidratar e empurrar.

Seguros Promo

Ser sua própria depiladora

Principalmente se você é estudante, está com a grana contada e não tem possibilidade de incluir esse item, é bom já vir preparada. De repente já pode pedir umas dicas para sua depiladora no Brasil, assim você vai conseguir se virar muito bem.

Preço da depilação no salão

Os centros de depilação com cera cobram um preço bem salgado. Por exemplo, só as axilas pode custar entre 8 e 12 euros. Uma virilha completa pode sair por até 40 euros. Definitivamente não é algo que podemos fazer sempre.

Cortar e pintar o próprio cabelo

Outro serviço que é muito caro no exterior é corte e pintura. Manter as luzes e as madeixas tingidas exige uma boa grana no final das contas. Mas não se desespere, pois o material você encontra facilmente. Quanto à mão-de-obra, vale chamar as amigas para tomar um vinho e fazer uma noite da beleza.

Ou senão, você pode testar a alma de cabeleireira que nasceu em você e fazer você mesma a sua coloração. No início é difícil, mas depois você pega a prática. Comece fazendo um curso de cabeleireiro iniciante para pegar a prática.

Fazer a própria faxina no exterior

Se você sempre morou com os pais e nunca precisou (ou nunca quis) fazer faxina na vida, essa ideia vai acabar logo ao colocar os pés no exterior. Os europeus normalmente não tem empregadas, então contratam uma femme de ménage (faxineira) que vai 1 vez por semana limpar a casa e passar as roupas, mas para o resto eles se viram sozinhos.

Aqui você será praticamente obrigada a fazer sua faxina, pois incluir seu rico dinheirinho em algo que você consegue fazer sozinha pode ser mais atrativo. Além de que as faxineiras cobram por hora, então dependendo do tamanho da sua casa/apartamento, pagar uma empregada para fazer a limpeza pode sair bem caro.

Como é a faxina no exterior

Se você está acostumada à faxina pesada que inclui lavar a cozinha e os banheiros, já pode começar a se acalmar por dois motivos. O primeiro deles é que as casas na Europa não são adaptadas para serem lavadas e esfregadas assim toda semana. O piso dos banheiros nem sempre é de azulejo e não pode ser lavado. As paredes também não costumam ser todas azulejadas, apenas a parede da pia e o box do banho.

O segundo motivo é que as faxineiras não realizam esse tipo de limpeza habitualmente. A limpeza consiste em tirar o pó, aspirar, passar pano e lavar pias e box/banheira. Qualquer outro tipo de serviço a mais, é cobrado a parte.

Aprender a viver com o frio

Uma tarefa não muito fácil… Se você acha que vai sentir apenas o frio que faz no inverno do Sul do Brasil, vou logo te avisando que a história é bem mais complicada: Aqui você sente os pés, o nariz e as mãos congelarem, e então se dará conta que realmente faz frio, muito frio.

O pior do inverno europeu não é o frio

No final das contas, o grande problema do inverno acaba não sendo exatamente o frio, mas os dias cinzas e chuvosos. O inverno na Europa costuma ser rigoroso e o sol é artigo de luxo. Nos dias que o sol resolve aparecer as pessoas saem todas de casa para aproveitar, pois durante o inverno existem semanas em que o sol não aparece um único dia. E a combinação frio + dias cinzas + saudade da família + solidão é uma péssima combinação na vida de expatriada

E de quebra… ser professora de samba

Todo mundo acha que por ser brasileira você sabe sambar. E não é qualquer sambadinha não! Todo mundo acredita que você dança igual as passistas das escolas de samba de carnaval e logo alguém vai pedir para você ensinar… Hora de treinar o requebrado 😉

Você também pode se interessar...

1 comentário

Sementes gratuitas para celebrar a primavera - Guia do Estrangeiro 7 março 2016 - 11:30

[…] Leia também: Se virando na Europa […]

Reply

Deixe um Comentário 🙂