Como é o parto na França e quanto custa

by Suellen Kyl

O parto na França seja ele parto normal ou cesárea é totalmente coberto pelo sistema de saúde francês, desde que você esteja devidamente cadastrado. Se não for o caso, todas as despesas referentes ao parto e ao recém-nascido serão da sua própria responsabilidade.

parto na França
Foto: Guia do Estrangeiro por Guilherme Calazans

Como é o pré-natal na França

O pré-natal na França pode ser feito por diferentes médicos. Isso vai depender de vários fatores: número de bebês, se a gravidez é considerada de risco, ou se a futura mamãe já é acompanhada por algum médico que ela tenha preferência.

Quando a gravidez não é considerada de risco e que tudo parece correr dentro da normalidade, o pré-natal pode ser feito pelo médico da família (médecin géneraliste) ou enfermeiro obstetra (sage-femme). Já em casos de gravidez de risco ou quando a gravidez apresenta complicações no seu decorrer, o acompanhamento é feito por um ginecologista obstetra.

Existem casos em que o acompanhamento é feito por mais de um médico e outros em que o pré-natal começa com o médico da família e termina com um ginecologista. Esse é normamente o caso de quem dá a luz em hospitais-maternidades quando o acompanhamento pelo profissional da maternidade só começa a partir do sétimo mês de gestação.


Se você estiver grávida, não se esqueça de fazer o seu seguro viagem. Encontre o seguro viagem que mais se adapta à sua situação com a Seguros Promo e ganhe um desconto exclusivo como leitora do Guia do Estrangeiro.


A escolha da maternidade

Na França as mulheres são livres para escolher a maternidade que desejarem, mas elas são sujeitas a algumas condições. No caso de maternidades públicas, a concorrência por uma vaga pode ser bem complicada nas grandes cidades.

Outro fator que deve ser levado em consideração é se o médico que faz o acompanhamento (caso seja um ginecologista) faz partos na maternidade que você escolheu. Saiba que os ginecologistas atuam em maternidades específicas e não é possível realizar o parto em qualquer maternidade.

Inscrição na maternidade em Paris e grandes cidades

Existe muita demanda nas maternidades em Paris e outras grandes cidades. Tanto que a inscrição na maternidade muitas vezes já é feita logo no terceiro mês de gestação. Assim a gestante tem a certeza de ter a sua vaga garantida.

Vale lembrar que este é o caso nas maternidades públicas, já na rede privada a demanda é menor e a inscrição é feita normalmente no sexto mês de gestação. Em todo caso, não deixe a inscrição na maternidade para a última hora.

Parto domiciliar na França

O parto domiciliar é uma prática pouco frequente na França (entre 1 e 2% dos partos). Entre os motivos seria a falta de informação a respeito desse tipo de parto e a dificuldade em encontrar um profissional. Para que um parto domiciliar seja possível na França, é preciso se encaixar em alguns critérios:

  • Não ter nenhum problema de saúde ou problema detectado durante a gravidez
  • Não ter nenhuma má-formação identificada no feto
  • Ser uma gravidez de um único bebê
  • O bebê deve estar na posição de cabeça
  • O parto não deve acontecer antes de 37 semanas

Quanto custa um parto domiciliar na França

Para que as enfermeiras obstetras possam praticar esse tipo de parto, elas devem aderir à um seguro que cobre eventuais problemas que possam acontecer com elas ou com as mães. Esse seguro custa bem caro, o que reflete no preço do parto em casa. A tarifa cobrada pelas enfermeiras obstetras pode variar chegando até mil euros por parto.

Quanto custa um parto na França

Se a futura mamãe é coberta pela sécurité sociale, o parto realizado em um hospital público ou clínica particular convencionada pode não ter custos suplementares. Em casos onde os médicos que realizam o parto ou que fazem a visita médica ao bebê cobram uma tarifa complementar, esta não é coberta pela sécurité sociale. Assim, se você não tiver uma mutuelle, tudo que não for coberto pela sécurité sociale deverá sair do seu bolso.

Essas tarifas complementares podem corresponder à:

  • Quarto particular – entre 50 e 600 euros/dia
  • Parto (tanto normal quanto cesárea) – 1200 euros
  • Anestesista – 650 euros
  • Pediatra – 200 euros

Quando o parto é realizado sem a cobertura da sécurité sociale, ele custa em torno de 2600 euros. Lembrando que na França o tempo de internação após o parto é de 3 dias em caso de parto normal e 5 dias em caso de cesárea.

Parto na França: normal ou cesárea?

A maior parte dos partos realizados na França são partos normais (par voie basse em francês). Isso não significa que não exista parto cesárea. O parto cesárea existe e é praticado quando estima-se que existe um risco para a mãe ou para o bebê, quando a mãe tem alguma condição de saúde que impeça um parto normal ou em casos de emergência.

Diferentemente do que acontece no Brasil, não é possível escolher entre um parto normal ou cesárea quando nenhuma condição contrária ao parto normal existir.

Parto de bebê pélvico

A cesárea pode ser uma indicação caso o bebê apresente-se em posição pélvica (sentado) ou atravessado. Porém, no caso da apresentação pélvica, existem médicos e maternidades que realizam o parto normal de bebê pélvico. Esse é um dos casos em que a mãe pode escolher entre o parto normal ou parto cesárea. Você pode ler sobre o relato do meu parto normal pélvico aqui na França acessando o meu Instagram.

Quando a maternidade e o médico realizam o parto normal pélvico e a mãe está de acordo, são realizados exames para verificar se existe passagem para um parto normal. Caso não exista, a cesárea é agendada a partir das 39 semanas de gestação.

Ter filho na França: a questão da nacionalidade

Ter um filho na França não dá ao bebê acesso direto à nacionalidade francesa. Isso porque a França aplica a lei do sangue (jus sanguini) e não a lei do solo (jus soli). Sendo assim, para ter a nacionalidade francesa, ao menos um dos pais precisa ser francês no momento do nascimento.

Claro que a criança poderá mais tarde fazer o pedido da nacionalidade francesa se quiser. Para isso é preciso ter entre 16 e 18 anos, morar na França no momento do pedido e ter morado anteriormente na França por pelo menos 5 anos depois de ter completado 11 anos. Senão, os pais podem fazer o pedido de nacionalidade para a criança a partir dos seus 13 anos de idade.


Precisando enviar ou receber dinheiro do exterior? Utilize a Wise, a melhor plataforma online para enviar ou receber dinheiro do exterior com as melhores taxas do mercado.


Benefícios sociais e auxílio maternidade na França

Logo depois que a gravidez é confirmada, o médico faz uma attestation de grossesse (atestado de gravidez) que deve ser enviado à Assurance Maladie e à CAF. Estes organismos vão se encarregar de calcular os direitos à licença maternidade na França, assim como a sua duração e a sua remuneração.

O cálculo da duração da licença maternidade é feito baseado em quantas crianças você já tem e quantos bebês você está esperando.

  • Nascimento do primeiro ou segundo filho: 16 semanas de licença maternidade, sendo 6 semanas antes do parto e 10 após o parto.
  • Nascimento do terceiro filho em diante: 26 semanas de licença maternidade, sendo 8 semanas antes do parto e 18 após o parto.
  • Se você está esperando gêmeos: 34 semanas de licença maternidade, sendo 12 semanas antes do parto e 22 após o parto.
  • Se você está esperando trigêmeos ou mais: 46 semanas de licença maternidade, sendo 24 semanas antes do parto e 22 após o parto.

Já o cálculo do salário durante a licença vai ser baseado no salário que a gestante tinha antes de dar a luz. Existe um limite máximo de salário pago durante a licença maternidade que é de 3428 euros/mensais.


Você também pode se interessar...

Deixe um Comentário 🙂