Pré-natal na França: tudo que você precisa saber

pré-natal na França

foto: stylistic.fr

O pré-natal na França segue um padrão para todas as mamães, incluindo exames obrigatórios e opcionais durante os 9 meses de gestação. Conheça como funciona o acompanhamento da gestação.

 

O que fazer ao descobrir uma gravidez?

Depois da felicidade de ver o positivo no teste de farmácia, é preciso consultar para saber mais sobre a gestação. Uma das primeiras perguntas que o médico pode fazer, é saber se a gravidez é desejada ou não. Se a gravidez não for desejada, o médico poderá aconselhar sobre como proceder caso a mãe opte por um aborto.

Em todos os casos, o médico irá prescrever um exame de sangue para confirmar a gravidez e um ultrassom para verificar se o embrião está implantado no útero. Se a gravidez for de 6 semanas ou mais, pode até ser possível ouvir o coração.

Somente após confirmar que a gravidez é evolutiva e que é possível detectar a presença de batimentos cardíacos, a gravidez é confirmada e começa a longa jornada dos 9 meses.

Leia também: Como funciona o aborto na França

 

Médico geral, doula ou ginecologista?

O pré-natal na França pode ser feito por certos profissionais dependendo de vários fatores: escolha própria da futura mamãe, hospital escolhido para o parto, se a gravidez é de múltiplos ou considerada gravidez de risco ou não...

Caso não seja considerada uma gravidez de risco ou que exista apenas 1 embrião, é possível fazer o acompanhamento com o médico geral (médecin généraliste) ou por uma doula (sage-femme). O médico geral pode fazer o acompanhamento até o sexto mês de gravidez. Após esse período, o acompanhamento deve ser feito no hospital onde será feito o parto.

 

Exames obrigatórios ao longo do pré-natal na França

Durante o pré-natal na França, o sistema de saúde estabelece os exames obrigatórios que devem ser realizados durante os 9 meses. Estão inclusos: 3 ultrassons (1 no primeiro, 1 no segundo e 1 no terceiro trimestre), consultas mensais para avaliar a evolução da gravidez e exames de sangue/urina prescritos pelo médico.

Cabe a cada médico de julgar necessário ou não a realização de exames extras. Isso nos casos em que a gestante seja portadora ou que esteja no grupo de risco de desenvolvimento de alguma doença que venha a afetar a gravidez.

Os exames obrigatórios são cobertos pela sécurité sociale se a gestante for contribuinte, ou pela AME para as pessoas em situação irregular. Ainda existe os centros chamados PMI (protection maternalle et infantile) que dão todo o apoio necessário para as gestantes gratuitamente.

A partir do sexto mês de gestação, todos os exames, medicamentos e despesas médicas são cobertas 100% pela sécurité sociale.

Confira: Benefícios do bilinguismo no desenvolvimento infantil

 

Parte burocrática

Somente após o exame de sangue e a realização do ultrassom no qual foi detectado atividade cardíaca do feto, é que a gravidez é confirmada. Ao ter a gravidez comprovada, começa a parte burocrática. Ela consiste em declarar à sécurité sociale e à CAF a sua gravidez.

O dossiê consiste em 3 folhas que devem ser assinadas pelo médico que está acompanhando a gravidez e deve ser enviado antes das 14 semanas de gravidez. Com a déclaration de grossesse, a sécurité sociale poderá calcular os reembolsos que serão feitos ligados à despesas médicas ao longo da gravidez. A CAF poderá calcular os seus direitos às ajudas sociais, como a prime de naissance e os seus ganhos durante a licença maternidade.

O dossiê é sempre enviado para a CAF e a sécurité sociale responsável pela região em que você mora. É possível também enviar o dossiê eletronicamente, mas isso vai depender do seu médico.

Ao receber e validar o seu dossiê, a sécurité sociale deverá enviar no seu espaço Ameli ou por correio um calendário com todas as datas e exames a serem realizados. A CAF deverá criar um número de beneficiário e poderá pedir documentos complementares para avaliar cada caso.

Leave a reply

%d blogueiros gostam disto: