O francês que não aprendemos no curso

Quem não se lembra da primeira aula de francês, quando você mal sabia falar bonjour e estranhava todos aqueles acentos pra todo lado ou todas aquelas palavras que a gente não pronuncia a última letra? Nada disso fazia sentido e às vezes parecia mesmo que nunca iria fazer. É assim que a gente se sente quando começa a aprender um novo idioma, sempre comparando com a nossa língua materna. E quanto mais distante, mais estranho parece.

11093070_1569633469969784_2099801266_n

Você estudou alguns anos, aprendeu a conjugar em todos os tempos verbais, ficou tentando decidir se deveria usar être ou avoir, aumentou o seu vocabulário com os diálogos que você lia milhões de vezes e encenava com o seu grupo como deveria fazer quando estivesse no restaurante... Forçou os seus ouvidos a entenderem aquele diálogo do áudio com o barulho de gente falando, carros passando, passarinho cantando, porque quando você estivesse numa situação dessas na vida real, ninguém iria falar alto e claro e certamente teria barulho.

O que você não sabia, é que até mesmo aquele seu bonjour seria questionado e que em apenas 3 palavras, você iria ouvir um questionamento sobre as suas origens: "vous venez d'où?"

Leia também: Entendendo as expressões francesas

Logo que você chega na França, a primeira impressão é de que os anos que você passou estudando francês não serviram de nada. Você aprendeu a pedir a conta no restaurante, mas não sabe como dizer ao seu amigo para colocar o prato na pia. Você aprendeu como dizer o tamanho do seu pé, mas não sabe como perguntar ao moço da loja por uma rasteirinha.

Afinal, qual é o francês que não aprendi no curso e que realmente é útil no dia-a-dia? Se você não quer ficar perdido como uma barata tonta, essas são as minhas dicas:

  • Expressões simples do dia-dia: subir/descer as escadas (monter/descendre les escaliers), pegar o elevador (prendre l'ascenceur), por o lixo pra fora (faire sortir la poubelle), tirar uma soneca (faire une sieste), ir pra casa (rentrer chez soi), estar com dor na cabeça, na barriga, etc (avoir mal à la tête, mal au ventre), querer ir embora (je veux rentrer, j'ai envie de rentrer), estar com sono (avoir du sommeil), estar atrasado (être en retard), estar adiantado (être en avance)
  • Vocabulário de casa: tudo que tiver em casa. Já pensou se a maçaneta (poignée) da porta quebra (est cassée), como você vai pedir ajuda? Ou então você esquece de comprar açúcar (acheter du sucre) e precisa pedir emprestado pro vizinho (demander au voisin s'il peut te le prêter)?
  • Conjugações verbais simples: Não adianta ficar quebrando a cabeça para conjugar o passé anterieur ou o subjonctif plus-que-parfait. Você praticamente nunca vai usá-los no dia-a-dia. Melhor ficar craque nos tempos mais simples que usamos sempre e que são praticamente os mesmo que usamos em português. No cotidiano, você diz "eu comerei frango amanhã" (je mangerai du poulet demain) ou "vou comer frango amanhã" (je vais manger du poulet demain)? O verbo aller é um dos mais usados para indicar que você vai fazer algo ou perguntar à alguém se essa pessoa vai fazer algo: Tu vas sortir? Je vais dormir.
  • Expressar contentamento e quantidade: quando você estiver contando algo, com certeza vai sentir falta de dizer que era muito legal (super, très bien, très cool), que você adorou/gostou muito (j'ai adoré, j'ai bien aimé, j'ai kiffé) ou que o evento foi muito ruim, um lixo (c'etait vraiment nul, très mauvais). Estar entusiasmado, cheio de energia (être au taquet).
  • Expressões típicas francesas: Afinal, a coisa vai muito além do oh là là. Se um dia você estiver assistindo um jogo com seu amigo e ouvir ele falando "oh la vache!" não precisa sair procurando pela vaca em lugar nenhum, é só uma expressão equivalente ao nosso eita pega, eita porra, caraaaalho e equivalentes. Ou quando você estiver conversando com seu amigo numa segunda-feira e ele te diz que "il a la tête dans le cul" (ele tá com a cabeça na bunda). Calma, ele só está querendo dizer que ele não acordou muito bem e está cansado (provavelmente o final de semana foi de festa).

E se você ficou curioso, nosso amigo Alexis mostra no seu vídeo um pouco de como os franceses falam;

1 comment

Leave a reply

%d blogueiros gostam disto: