Depoimento: Patrícia ex Au Pair na França ( Paris)

2015-02-25 12.38.49

Estamos começando uma série de depoimentos sobre a experiência que cada brasileira (o) teve ou está tendo como au pair. Vamos colher depoimentos de meninas e meninos que estão espalhados pelo mundo e descobrir um pouco como tudo aconteceu e se essa experiência é válida ou não. Para começar, vou falar um pouco da minha experiência!

Leia também: Como ser Au Pair na França

Início 

Eu me chamo Patricia Alves, sou nordestina de Recife e vim para a França em setembro de 2012, para a região de Paris. Foi um intercâmbio muito planejado e muito desejado. Pensei em cada detalhe e calculei o tempo exato que iria vir, pois como ainda estava cursando minha graduação em administração de empresas, queria terminar antes de começar a vida em outro país. Foi isso o que aconteceu: planejei durante uns dois anos, procurei todas as informações possíveis, como fazer o processo, pagar ou não uma agência, quanto tempo antes da viagem deveria achar uma família e etc.

Confira também: Como ser Au Pair na Holanda

Durante

Achei uma família por conta própria no site Au pair world, fiz todo o processo e cheguei em setembro de 2012. Vim parar em uma família francesa super simpática, de um casal com uma menina de 9 anos e um menino de 13 anos. Fui muito bem recebida e fiquei com eles por 10 meses, de setembro de 2012 a junho de 2013. Morei em uma cidade chamada Colombes, que fica bem próximo de Paris, e fazia meu curso em Paris. Apesar da família ser super simpática, não consegui me adaptar, pois morar com estranhos sem dominar ainda o idioma foi o que mais pesou.

Quando terminou meu tempo com eles, fui passar o verão com outra família e em setembro de 2013 fui para a segunda família como au pair também. Eles moravam ainda mais perto de Paris, em Neuilly sur seine. Essa segunda experiência não foi nada tranquila, pois apesar de ser uma família franco-brésilienne (mãe brasileira e pai francês), tive vários problemas com a mãe e foi bem difícil. Os meninos não eram fáceis! Eles tinham 2 anos e meio e 4 anos e apesar de adorá-los foi bem complicado, pois eu fazia muitos baby sittings aos finais de semana e quase não tinha tempo pra mim mesma. Acabei ficando com eles até o final do contrato e depois fui aceita em um curso na universidade. Então fui morar sozinha e trabalhar para uma família como baby sitter.

2015-02-25 12.38.19

Saiba também: As dificuldades de uma Au Pair na França

Pontos positivos

Aprender um novo idioma, conhecer outras pessoas, outras culturas, fazer amigos, viajar, visitar lugares que eu nunca imaginei poder visitar, me tornar uma pessoa mais forte, me conhecer melhor e saber lidar com situações e pessoas difíceis.

Paris é uma cidade grande. Aproveitei o máximo que pude o meu primeiro ano, pois como não tinha certeza se continuaria ou não França, aproveitei para sair muito, visitar cidades próximas e ir para Londres, Amsterdam e Bruxelas. É importante morar em uma cidade grande, pois é mais fácil de fazer amigos e aproveitar o intercâmbio.

Pontos negativos em ser Au Pair

Morar em uma casa que não é sua é muito difícil, nunca consegui me sentir a vontade e era bem complicado ter que dar satisfação da minha vida. Também não curti crianças grandes, eles são super independentes e as vezes tinha a impressão que eles não precisavam de mim. Já com as crianças menores eu tinha muitooo trabalho e era praticamente a mãe dos meninos... Tem que ter um equilíbrio. 🙂

veja também: Saiba como ser au pair na Áustria

Mas faria tudo de novo! Foi uma experiência incrível, amo a França e ainda estou por aqui 😉

E você, quer contar um pouco da sua história pra gente?? Você poderá ajudar várias outras pessoas. O que acha de mandar seu depoimento?? Enviem suas histórias para o nosso e-mail (guiaestrangeiro@gmail.com) e não hesitem em nos contactar. Bjos

Leave a reply

%d blogueiros gostam disto: