Chapada Diamantina: como chegar, passeios e dicas

Descubra nosso roteiro de 4 dias na Chapada Diamantina com direito a vistas espetaculares, cachoeiras, rios de águas acobreadas, poços encantados, grutas e aventura garantida!

Primeiro dia na Chapada Diamantina

Saímos de Salvador às 7 h da manhã e pegamos o ônibus da companhia Rápido Federal em direção à Lençóis (é a única empresa que faz esse trajeto), onde montamos nosso quartel general pelos próximos 3 dias. São mais de 400 km e umas 7 h de viagem e pela primeira vez no Brasil não tivemos atraso de no mínimo 1 h 30, então posso dizer que ocorreu tudo bem!

Chegamos por volta das 13 h em Lençóis e o tempo estava perfeito, com céu azul e sol. Pegamos nossas mochilas e 10 min, e uma boa ladeira depois, chegamos ao Hostel das Estrelas.

Como sabíamos que teríamos a tarde livre, programamos ir em uma cachoeira perto da cidade. Pedimos informações de como chegar lá e partimos para a nossa primeira trilha na Chapada!

A trilha de 2 km até a cachoeira de Ribeirão do Meio leva em torno de meia-hora. Bem tranquila e fácil. 

Veja também:  Pantanal sul-mato-grossense: passeios e dicas

Trilha para a cachoeira Chapada diamantina no Brasil

Trilha para a cachoeira Ribeirão do meio - Foto por Guia do Estrangeiro

Macacos na ârvore na Chapada diamantina no Brasil

Saguis na trilha - Foto: Guia do Estrangeiro

Chegando lá que beleza! Nunca tinha visto essa água escura antes, de cara dá medo, mas chegando perto você vê que a água é transparente (como toda água haha) mas tem uma cor marrom acobreada devido as características do solo rochoso da região.

Moça em cachoeira na Chapada diamantina no Brasil

Ribeirão do Meio, Chapada diamantina - Foto: Guia do Estrangeiro

Vista panorâmica da cachoeira chapada diamantina

Vista panorâmica da cachoeira - Foto: Guia do Estrangeiro

De noite fomos jantar no centro de Lençóis, onde há vários restaurantes. As ruazinhas decoradas com as mesas dos restaurantes e música ao vivo deixam tudo muito mais encantador!

Chapada diamantina, noite em Lençóis, Bahia

Noite em Lençóis, Bahia - Foto: Guia do Estrangeiro

Janta de moqueca, noite em Lençóis, Bahia

Moqueca de peixe - Foto: Guia do Estrangeiro

Segunda dia na Chapada Diamantina

7 h da manhã o alarme do celular toca (pois o alarme natural, leia-se galos dos vizinhos, tocam desde as 5 h da manhã), 7 h 30 vamos tomar o café da manhã… e que surpresa! Um café da manhã digno de hotel 5 estrelas, com direito a bolo de chocolate saído do forno! As 8 h estamos prontos e nosso guia turístico Josemar da Agência Cirtur em Lençóis chega com a van. Passamos em algumas outras pousadas para buscar outras pessoas e nosso outro guia Dodó, e assim colocamos o pé na estrada super animados para a aventura. Nesse dia conhecemos 2 atrações: o Poço Encantado e o Poço Azul!

chapada diamantina poço encantado

Poço encantado - Foto: Guia do Estrangeiro

Poço azul, Chapada diamantina

Poço azul - Foto: Guia do Estrangeiro

moça no poço azul, Chapada diamantina

Poço azul - Foto: Guia do Estrangeiro

flutuaçao na chapada diamantina poço azul

Poço azul - Foto: Guia do Estrangeiro

pessoas fazendo flutuação no poço azul

Poço azul - Foto: Guia do Estrangeiro

Terceiro dia na Chapada Diamantina

Partimos de Lençóis por volta das 8 h da manhã como nos dias anteriores. Esse foi o dia mais cansativo, simplesmente porque a trilha para a Cachoeira da Fumaça leva 2 horas! Para ir e para voltar, um total 4 horas de esporte. 😀

Eu não cheguei ao ponto de pensar em desistir, mas para quem não tem nenhum preparo físico é difícil. A subida é tensa e, adicionando o calor e sol de rachar do nordeste, é uma verdadeira prova de resistência! E nós conseguimos!

Trilha para a Cachoeira da fumaça, Chapada diamantina

Trilha para a Cachoeira da fumaça - Foto: Guia do Estrangeiro

roteiro na chapada diamantina

2 h de caminhada até o topo da Cachoeira da fumaça - Foto: Guia do Estrangeiro

Chegando lá no alto, é hora de tirar foto, à 420 m de altura, dá um medo olhar para baixo!

moça no alto da Cachoeira da fumaça, Chapada diamantina

420 m de altura na Cachoeira da fumaça - Foto: Guia do Estrangeiro

Como era época de pouca chuva, não tinha muita água na cachoeira, mas a vista ainda vale a pena!

cachoeira da fumaça 420m

Cachoeira da fumaça - Foto: Guia do Estrangeiro

Depois disso almoçamos estilo piquenique um lanche que a nossa agência forneceu e é preparado por uma das melhores pousadas da região... Uma diversidade de gostosuras, sanduíches, doces e sucos. Tudo muito bom!

Energia (quase) recarregada, é hora de descer o morro. Ainda bem que existe essa sensação de que a volta parece ser bem mais rápida. 😀

Chegando lá em baixo vamos em direção a uma cachoeira para uma boa refrescada na água fresca do Riachinho!

Quarto dia na Chapada Diamantina

O último dia foi o mais longo, pois foram 6 atrações para visitar. A primeira parada foi em um vilarejo chamado Itaquara, onde uma pequena trilha nos leva até a Cachoeira e Poço do diabo. O poço tem esse nome devido a algumas lendas da região. Nessa manhã o céu estava nublado, então nós quase não íamos entrar na água porque estava muito fria! Mas o segredo é pular na água de uma vez e pronto! Depois o corpo se acostuma. 🙂

Poço do diabo

Poço do diabo - Foto: Guia do Estrangeiro

Segunda parada é a visita a Gruta da Lapa Doce. Eu que nunca tinha entrado em um gruta fiquei absolutamente encantada... me sentindo naqueles filmes de exploração de outro planeta. Nós recebemos lanternas e seguimos um guia local para uma caminhada de 1 h de travessia DENTRO da gruta! O lugar é gigantesco, o salão da gruta chega a 72 m de altura com formações milenares, estalactites e estalagmites por todos os lados!

 

grupo de turistas na Gruta Lapa Doce

Gruta Lapa Doce - Foto: Guia do Estrangeiro

Entrada da Gruta Lapa Doce, Chapada diamantina

Entrada da Gruta Lapa Doce, Chapada diamantina - Foto: Guia do Estrangeiro

Estalactites na Gruta Lada Doce, Chapada diamantina

Dentro da Gruta Lada Doce - Foto: Guia do Estrangeiro

dentro da Gruta Lapa Doce, Chapada diamantina

Saída da Gruta Lapa Doce - Foto: Guia do Estrangeiro

Terceira parada foi na Praia do pratinha uma lagoa de água tranquila e cheia de adoráveis mini-peixes.

Peixes na praia do pratinha, Chapada diamantina, Bahia

Peixíssimos - Foto: Guia do Estrangeiro

Moça na praia do pratinha, Chapada diamantina, Bahia

Tranquilidade na praia do pratinha - Foto: Guia do Estrangeiro

Quarta parada, para fechar com chave de ouro, subimos o Morro do Pai Inácio para admirar o pôr-do-sol. A subida é fácil e tranquila, leva menos de meia hora e lá do alto a paisagem é sublime. Sem palavras… deixo aqui algumas imagens. 🙂 

Supergirl no Morro do Pai Inácio, Chapada diamantina

Me sentindo a Supergirl! - Foto: Guia do Estrangeiro

casal no Morro do Pai Inácio, Chapada diamantina

Vista dos sonhos de cima do Morro do Pai Inácio - Foto: Guia do Estrangeiro

por-do-sol no morro do pai inácio, Chapada diamantina

Pôr-do-sol inesquecível - Foto: Guia do Estrangeiro

As 23 h, do mesmo dia, pegamos o ônibus noturno de volta para Salvador e mais uma vez, viagem super tranquila, ônibus confortável e sem atraso.

Porque visitar a Chapada Diamantina na Bahia?

Ficamos felizes com nossa visita, a Chapada vale a pena pois é uma região de beleza única e sem dúvida um dos lugares mais bonitos do mundo. Nos divertimos, fizemos esporte, comemos muito bem e conhecemos lugares com paisagens incríveis à preço justo! Indicamos tanto o Hostel das estrelas onde nos hospedamos quanto a Agência Cirtur em Lençóis e o transporte de ônibus pela Rápido Federal de Salvador, pois tivemos uma ótima experiência!

Boa viagem!

Leave a reply

%d blogueiros gostam disto: